" CONHECEREIS A VERDADE E A VERDADE VOS LIBERTARÁ "

terça-feira, 8 de setembro de 2009

SÍMBOLOS SAGRADOS

SÍMBOLOS  SAGRADOS  DA ÁFRICA























































































































































































































SÍMBOLOS SAGRADOS











































































































































































































SÍMBOLOS SAGRADOS

O Yin-Yang é o símbolo do Taoísmo, uma das mais conhecidas religiões dharmicas. Um círculo dividido ao meio por uma linha ondulada; uma metade é negra (yin) e a outra é branca(yang). Cada metade tem também um pequeno círculo da cor oposta, ou seja, a metade branca tem um círculo negro e a negra tem um círculo branco. Esse símbolo representa o equilíbrio das forças positivas e negativas do universo: a metade negra representa o negativo, o escuro, a noturno e o feminino e a metade branca representa o suave, o iluminado, o diurno e o masculino. O círculo menor representa a presença de cada um no outro. Alguns estudiosos sem excepcional experiência com a filosofia chinesa clássica dizem que o yang é o bem e o yin é o mal; contudo, segundo o físico teórico Fritjof Capra, influenciado oscilação entre os dois pólos; todas as transições ocorrem gradualmente e numa progressão e distorção em subseqüente eras patriarcais. Em biologia humana, as características masculinas e femininas não estão nitidamente separadas, mas ocorrem, em proporções variáveis, em ambos os sexos. Da mesma forma os chineses acreditavam que todas as pessoas , homens ou mulheres, passam por fases yin e yang. A personalidade de cada homem e de cada mulher não é uma entidade estática, mas um fenômeno dinâmico resultante da interação entre elementos masculinos e femininos. Essa concepção da natureza humana está em contraste flagrante com a da nossa cultura patriarcal, que estabeleceu uma ordem rígida em que se supõe que todos os homens, machos, são masculinos e todas as mulheres, fêmeas, são femininas, e distorceu o significado desses termos ao conferir aos homens os papéis de protagonistas e a maioria dos privilégios da sociedade. Em virtude dessa predisposição patriarcal, a freqüente associação do yin com a passividade e do yang com a atividade é particularmente perigosa. Em nossa cultura, as mulheres têm sido tradicionalmente retratadas como passivas e receptivas, e os homens como ativos e criativos. Essas imagens remontam à teoria da sexualidade de Aristóteles, e têm sido usadas ao longo dos séculos como explicação científica para manter as mulheres num papel subordinado, subserviente, em relação aos homens. A associação do yin com passividade e do yang com atividade parece ser ainda uma outra expressão de estereótipos patriarcais, uma moderna interpretação ocidental que está longe de refletir o significado original dos termos chineses. É um símbolo muito presente não só na religião, mas também em toda a cultura do mundo contemporâneo e é conhecido tanto no Ocidente quanto no Oriente. Um exemplo disso é o brasão de armas do renomado físico de Mecânica Quântica Niels Bohr que tem o símbolo chinês do Tao yin-yang e acima deste a frase, em Latim: "Contraria sunt complementa" que significa os opostos ou os contrários (Contraria) são (sunt, terceira pessoa do plural do presente do indicativo do verbo sum, ser/estar, existir, cujo infinitivo é esse) complementares (complementa).
- Islamismo O símbolo do Islã é a Lua Crescente com uma Estrela. Tal símbolo pode ser observado em branco na bandeira vermelha da Turquia, fato explicável, se levar-se em consideração que cerca de 99% da população turca pertence ao islamismo. O Islamismo é uma das principais religiões abraâmicas e foi criada pelo profeta Maomé, tomando como base os ensinamentos de outras religiões abraâmicas.
- Hinduísmo O Om ou Aum é , além do símbolo do Hinduísmo, o principal mantra do Hinduísmo. Assim como muitos outros mantras, este também está presente no Budismo e no Jainismo e representa o trimurti, isto é, o conjunto formado pelas três principais divindades hindus: Brahma, o Criador do universo; Vishnu, o Reformador do universo; e Shiva, o Destruidor (ou Transformador) do universo. Sua forma é semelhante à de um número três e, como os outros mantras, funciona como uma espécie de oração, mas não relata um diálogo direto com seus deuses.
- Siquismo O principal símbolo do Siquismo é o Khanda. Esse símbolo está presente na bandeira dos sikhs, a Nishan Sahib, hasteada em todos os templos sikhs, os gurdwaras. O símbolo é a fusão de quatro armas, cada uma com seu significado: no centro uma espada de dois gumes (chamada Khanda, de onde surgiu o nome do símbolo) que simboliza a criatividade e o poder divino; ao redor do Khanda está o Chakkar, arma com forma circular que representa a perfeição de Deus; e duas espadas chamadas de Kirpans em torno do Khanda e do Chakkar: a espada esquerda representa o pin (o poder espiritual) e a espada direita o min (o poder temporal). Na bandeira do Irã está presente um símbolo muito parecido com Khanda, mas não é o mesmo símbolo nem tem o mesmo significado.
- Ayyavazhi A Flor-de-Lótus é o principal símbolo da religião indiana Ayyavazhi, fundada no século XIX. A Flor-de-Lótus está presente no Sahasrara (também chamado de chacra da coroa), o 7º e mais importante dos chacras que situa-se no alto da cabeça da pessoa e se relaciona com o padrão de energia global dessa pessoa. Esse chacra é originado na tradição hindu mas, como vários outros elemento do hinduísmo, foi adotado por outras religiões. Situado no alto da flor está o Namam (ou Thirunamam), também presente no Sahasrara.
- Budismo O símbolo do Budismo é a Roda Dharmica ou Dharmacakra. Apesar desta ser um símbolo admitido por todas as religiões dharmicas, como o Jainismo, tal símbolo é considerado o símbolo oficial do Budismo. É um círculo com oito braços surgidos no centro apontando direções diferentes. Cada um dos braços representa cada uma das oito práticas que constituem o Nobre Caminho Óctuplo: Compreensão Correta, Pensamento Correto, Fala Correta, Ação Correta, Meio de Vida Correto, Atenção Correta, Sabedoria Correta e Visão Correta.
- Tenrikyo O emblema do Tenrikyo é representado como um círculo. No interior desse círculo, há um outro menor, de onde surgem outros cinco braços, separados em ângulos de 72°, separando o círculo em cinco. Dos cinco bracos, surgem outros cinco círculo, um em cada braço. O Tenrikyo é uma religião dharmica surgida no Japão. Sua fundadora foi a camponesa Miki Nakayama.
- Ásatrú O Valknut é o símbolo do Ásatrú, religião instituída na década de 1960. O Valknut é formado por três triângulos entrelaçados entre si e representa o poder do deus Odin. O Ásatrú tenta reviver a antiga mitologia nórdica. O Valknut já era usado pelos antigos Vikings como símbolo religioso, pois é visto em muitos documentos antigos. - Wicca O Pentagrama é um dos símbolos mais importantes símbolos da religião neo-pagã Wicca. Esse símbolo está bastante presente em rituais e cerimônias da religião. É o símbolo do feminino, pois os antigos astrônomos ptolomáicos acreditavam que o planeta Vênus (deusa da beleza na mitologia romana) fazia uma órbita em forma de estrela no céu numa visão geocêntrica. Logo, o pentagrama foi adotado como símbolo d'A Deusa, uma das principais divindades do Wicca. Infelizmente, o pentagrama foi associado erroneamente ao satanismo, pois como todos os seguidores Wicca são bruxos (mas nem todos os bruxos são Wicca) persiste a idéia medieval deixada pela Inquisição de que todos os bruxos são seguidores do demônio.Outra asociaçao do pentagrama ao demônio é o pentagrama invertido(com duas pontas para cima) simbolizando a besta "Baphomet". Outro símbolo importante do Wicca é a Lua Tripla, representando o Deus Cornífero. Vale lembrar que o Pentagrama era utilizado pelos antigos templários como simbolo de riqueza. O Pentagrama também foi estudado por Pitágoras e futuramente por seus seguidores chegando assim numa denominação de um emblema da perfeição e no próprio homem, aonde um homem esta com os braços e pernas abertos formando o pentagrama(outras ilustrações foram feitas por Leonardo da Vinci). Muitas vezes na maçonaria o Pentagrama também ganhava o significado do "infinito" pois poderia ser desenhado outro pentagrama no meio do original e assim infinitamente sem perda na geometria. O pentagrama também possui forte significado na China antiga, aonde cada ponta simbolizava um elemento, tendo assim Terra, Água, Fogo, Madeira e Metal.
- Zoroastrismo O Faravahar ou Ferohar é um dos símbolos mais importantes do Zoroastrismo, religião monoteísta fundada na Pérsia pelo profeta Zaratustra (ou Zoroastres). Ele é formado por uma espécie de asa com um círculo no centro. Surgindo do círculo, está uma figura humana. O Ferohar representa a alma dos seres humanos antes de nascerem e depois de morrerem, ou seja, a alma humana das pessoas enquanto estas não estão vivas. Outro símbolo importantíssimo do Zoroastrismo é o elemento do fogo.
- Jainismo O símbolo do Jainismo é uma variação do Darmacakra. Nesse caso, a roda dharmica situa-se no interior da figura de uma mão. A mão é geralmente vista como símbolo de sabedoria e de ensinamento. Logo, sendo o Darmacakra um símbolo presente em muitas religiões dharmicas, é um símbolo da sabedoria na sua religião. O Jainismo é uma religião que recebeu muita influência do Budismo, que por sua vez recebeu muita influência do Hinduísmo, todas religiões dharmicas. Também simboliza a oposição à violência. - Fé Bahá'í O maior símbolo da Fé Bahá'í é a Estrela de Nove Pontas. Para os bahá'ís, o número 9 é sagrado, o número da perfeição, pois é o dígito máximo. Também é o valor numérico da palavra árabe Baha e o número de religiões divinamente reveladas (sabeísmo, hinduísmo, budismo, judaísmo, cristianismo, islamismo, zoroastrismo, fé babí e, finalmente, fé bahá'í). A forma da estrela pode variar, desde que contenha nove pontas. Ouros símbolos são o Máximo Nome, o Símbolo da Pedra e o Bahá'
- Xintoísmo O Torii é o símbolo do Xintoísmo. É uma espécie de portal composto por duas barras verticais com uma barra horizontal no topo (chamada de kasagi), geralmente mais larga que a distância entre as duas barras. Sob o kasagi está o nuki, outra trave horizonta que liga os postes. Sua presença anuncia que há um santuário xintoísta nas proximidades. Atualmente, o Torii é considerado um dos mais importantes símbolos da tradição japonesa e simboliza a separação entre o mundo dos homens e o dos kami.
- Seicho-no-ie O Enkan é o símbolo da religião/filosofia monoteísta Seicho-no-ie. Ele é mostrado como uma estrela de oito pontas. A cada duas pontas surge uma barra que as separa do restante. Essas barras são ligadas a um círculo rodeado por pontas que envolve toda a estrela. - Igreja Messiânica Mundial O emblema da Igreja Messiânica Mundial tem a forma básica de um circulo. No interior do círculo há um outro muito menor, de onde surgem oito linhas, dividindo o círculo igualmente em ângulos de 45°. As linhas nos sentidos vertical e horizontal são mais grossas que as no sentido diagonal. A Igreja Messiânica Mundial foi fundada por Mokiti Okada (ou Meishu Sama, como os seguidores chamam-no) em 1935.

































































































































































































































































































































































SÍMBOLOS RELIGIOSOS: ELOS COM A TRANSCENDÊNCIA                                                                                                                ( DIÁLOGO - REVISTA DE ENSINO RELIGIOSO )

Francisco Catão*

A modernidade racionalista, ao desconhecer a objetividade do símbolo, reduziu a religião à pura subjetividade. Faz-se hoje necessário resgatar a significação objetiva do símbolo. O que só é possível se aprofundando em uma determinada tradição religiosa.

Do ponto de vista antropológico, no ocaso da modernidade, o ser humano, embora chamado a viver à luz da razão, passou a se deixar conduzir muito mais por suas percepções interiores e pela afetividade do que pelo raciocínio frio e objetivo. Surgiu assim a era da subjetividade, cuja descoberta revolucionou a Antropologia e modificou a idéia que se fazia da realidade.

O símbolo e seu resgate

Essa espécie de descoberta pôs em questão o valor universal das razões de viver e abriu espaço para a linguagem do símbolo, em que o sujeito se exprime a seu modo. Criou-se, do ponto de vista da cultura dominante, nova oportunidade para uma mais aprofundada compreensão das religiões. Ao mesmo tempo, porém, esvaziava-se o símbolo de qualquer fundamento real.

O termo símbolo, que etimologicamente significa “lançado junto”, designa a parte visível de um todo não manifesto, inseparável da totalidade do real. Na religião, o símbolo visível estava, para os antigos, ligado objetivamente à sua outra parte, invisível. Nesse sentido objetivo, o símbolo é um conceito indispensável na leitura dos textos antigos, como mostra uma série de obras filosóficas e religiosas, a começar pela própria Bíblia.

Com as peripécias da modernidade, que só acreditava na razão e nos conceitos, o símbolo perdeu a objetividade e nos fez reféns do desconhecimento da realidade simbolizada. Perdemos contato com o invisível. Não é estranho que o Iluminismo, negando o valor objetivo do conhecimento simbólico, tenha levado ao ateísmo.

O clima cultural racionalista deixou marcas profundas na educação. Guiada pela ideologia iluminista, a escola ainda não conseguiu incorporar a realidade objetiva do simbolismo, apesar do esforço de alguns pedagogos.

Mas ela começa agora a resgatar a reflexão sobre caminhos que superem o racionalismo desumanizador e a integrem na cultura pós-moderna, porém correrá o risco de se desvincular da realidade se não redescobrir o valor objetivo do símbolo, através, por exemplo, da literatura, da arte e da religião.

Religião, construto simbólico e seu contributo de humanização

A exclusão do símbolo do campo do conhecimento objetivo enfraqueceu a religião, pois ela é, por definição, um conjunto de práticas simbólicas, ritos e doutrinas, comportamentos e instituições.

A religião tem sofrido com o utilitarismo e o ateísmo que a reduzem a uma crença em idéias ou valores subjetivos, a uma forma pessoal de representar Deus, que não corresponde à realidade, visto que depende do modo como o sujeito simboliza a realidade invisível, inacessível à razão.

Compreende-se, então, a importância de uma educação que resgate o simbólico, assentada na realidade total a partir de manifestações particulares, e que restitua ao homo faber da civilização científico-tecnológica a dimensão do homo sapiens, sem o que nunca haverá um verdadeiro humanismo.

Ora, se a religião foi a primeira vítima do racionalismo, ela tem tudo para ser o principal caminho de resgate do humanismo, dada, não apenas à sua natureza simbólica, como à sua força de renovação haurida da postura do ser humano ante a realidade, como espelho da totalidade, que toda religião visa por natureza, fundada que é no desejo do transcendente.

É, portanto, primordial o Ensino Religioso na escola, como alavanca quase indispensável, que, apoiada na realidade do ser humano, o impulsiona, não apenas a satisfazer suas necessidades materiais e econômicas, mas, sobretudo, a se alimentar dos valores transcendentes, sem os quais a vida perde o sentido.

O paradoxo do símbolo religioso
O caráter simbólico da religião é universalmente reconhecido. Pouco conhecidas, porém, são as bases objetivas do simbolismo, nas tradições religiosas.

Em se tratando das Ciências Humanas, é possível analisar genericamente os ritos, doutrinas ou mitos, comportamentos e instituições religiosos. Contudo, o simbolismo das práticas religiosas não se sustenta por si mesmo, como objetivo.

Enquanto elementos visíveis, só se sustentam como símbolos, a partir de uma realidade última simbolizada, com a qual se reconhece que guardam um laço objetivo.

Há, porém, um paradoxo. Pode-se fazer a análise comparativa de expressões das tradições religiosas.

Mas, como realidades simbólicas, elas apelam para “a parte invisível” da realidade “lançada junto” com o que se vê.

Parte, por definição, inatingível pela ciência, embora esteja na fonte do que há de objetivo nos símbolos.

O símbolo religioso na tradição cristã

Não se pode falar subjetivamenteda realidade última da existência senão a partir de uma tradição religiosa. Na tradição judaico-cristã, os símbolos bíblicos, por exemplo, têm indiscutível conteúdo objetivo.

O próprio Jesusfoi um homem religioso, e Ele mesmo é símbolo de Deus, isto é, “parte visível” de Deus. Jesus não se apresentou como fundador de uma religião, mas como anunciador do desígnio de salvação de Deus.

Exprimiu assim a realidade transcendente na comunhão de três, no Pai, que pronuncia a Palavra de verdade e se dá a conhecer, numa unidade de comunhão. A comunhão dos Três - o Pai, o Filho e o Espírito Santo – é o invisível simbolizado a que se refere, por exemplo, o gesto simbólico da cruz feito no início e na conclusão das orações e dos ritos cristãos.

O religioso no simbolismo humano

A análise da religião, em especial na tradição cristã, parece ter se tornado alheia à comunhão a que é chamada a pessoa na convivência concreta. Arrancada de suas raízes simbólicas, a religião não mais entende o ser humano como símbolo de Deus. Pensa-se a vida em função de si mesma, e se perde o sentido do simbolismo religioso.

Corre-se então o risco de articular a religião com o bem-estar e conceber o religioso como uma realidade a ser construída com as simples forças humanas, desconhecendo-lhe as raízes que mergulham no mistério da comunhão com Deus, da qual nada mais é do que símbolo.

É urgente, no Ensino Religioso, despertar o que há de simbólico e iniciar as pessoas na descoberta interior da articulação objetiva do símbolo com o simbolizado, pois só assim a religião será o caminho para a verdade, o amor e a paz, na reconciliação de todos os seres humanos.

*Francisco Catão - Doutor em Teologia, professor do Instituto Pio XI em São Paulo (SP), membro do Conselho Editorial da revista Diálogo e autor da coleção didática de Ensino Religioso Convivênca e Liberdade.




Elementos primordiais e símbolos universais

A água

O primeiro elemento da natureza, forma três quartos do planeta Terra e tem igual proporção nos vegetais e nos animais.

Hábitat primordial do ser humano no ventre materno, a água é tida como primeiro elemento de quase todos os mitos de criação, tanto nas tradições sagradas escritas como nas orais.

É essencialmente terrestre, em contraposição ao fogo que é ligado ao sol. Nos ritos das tradições religiosas, é um dos principais símbolos de renascimento, purificação e fecundidade espiritual. Na psicanálise, é o arquétipo da memória inconsciente.

A terra
Uma das mais antigas tradições religiosas é a reverência ao solo como corpo maternal e deusa-mãe, fecundada pelo céu e geradora de todo ser vivo. Os espaços sagrados que guardam os túmulos dos ancestrais formam o elo de pertença familiar e de grupo social. Por isso uma sociedade indígena sofre a dispersão ao sair de seu território de origem.

Toda tradição religiosa possui uma terra santa, uma cidade santa, uma clareira na floresta ou um local consagrado, como referencial de identidade e ligação com a mãe terra.

O fogo

Tido desde os primórdios da religiosidade como presente dos espíritos à humanidade, o fogo é considerado elemento celestial e personifica deuses de diversas tradições religiosas. Talvez o símbolo mais usado nos ritos e cerimônias de todas as tradições religiosas, significa ainda luz, calor, purificação, amor, espiritualidade, elo de comunicação entre o crente e Deus.

O ar

Ao lado do fogo, é considerado pelas tradições religiosas como elemento celestial masculino, enquanto a água e a terra representam a feminilidade. Na Astrologia, o vento e o ar constituem o mundo intermediário, o terreno de ligação entre a matéria e o espírito. As figuras do zodíaco flutuam nas ondas do ar.

PUBLICAÇÕES   VER MAIS

Símbolos religiosos: elos com a transcendência

54 comentários:

  1. Pelo pouco que entendi, acho que esse yin yang é um pouco machista... Deve ser por causa da cultura? É isso Jonas?

    ResponderExcluir
  2. antonia carla, amanda e carla de almeida16 de setembro de 2009 09:51

    nós achamos bem interesante além de ta falando de todos nós esta,falando do nosso planeta como a nossa religião.

    ResponderExcluir
  3. meu nome: eduardo victor oi
    professo goste muitodo blog eu gostei mais-do Yin-Yang ESCOLA: DOM ANTONIO DE ALMEIDA LUSTOSA

    ResponderExcluir
  4. antonia carla,amandinha e carlinha16 de setembro de 2009 10:03

    como nós estava-mos comentando a religião é muito importante.por que olhando para nossas mãos podemos perseber que nossa mão é costurada porisso que eu acho o ensino religioso bem importante.

    ResponderExcluir
  5. escola dom lustosa eu achei muito estranho
    porque as figuras saõ esquisitas eu achei
    o texto muito interesante
    alunos:lidiane,felipe,gleiciane
    6ano A tarde.

    ResponderExcluir
  6. FERNANDO E DESSICA SILVANA16 de setembro de 2009 10:42

    DOM LUSTOSA E SILVANA MARIA E FERNANDO PARENTE COSTA E MARIA DÉSSICA 6 ANO A TARDE
    TAOISMO É UMA DAS MAIS CONHECIDA RELIGIOES.

    ResponderExcluir
  7. DOM LUSTOSA 6ANO A SILVANA MARIA E FERNANDO PARENTE E MARIA DESSICA AS FEGURAS SAO MUITO INPORTANTE SAO MUITO BONITAS E MUITO ELEGANTES E MOSTRA MUITAS COISAS NELAS E MUITO INPORTANTE PARA NOS

    ResponderExcluir
  8. Essa materia e muito importante aprender pois nos aprendemos muito sobre DEUS pois ele e um homem sagrado

    ResponderExcluir
  9. Alinny,André e Emily.17 de setembro de 2009 06:52

    sabia professor que a maioria desses símbolos são satanicos? não? pois fique sabendo. vigie seus caminhos... Jesus é o caminho,a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai se não por Ele. Jesus te ama e Ele quer te salvar. pois Jesus está voltando, volte para Ele antes.

    ResponderExcluir
  10. Laryssa CqC ....8 ano A manhã17 de setembro de 2009 06:52

    essa materia e muito importante para nos ,pq falamos sobre DEUS pois ele e um homem sagrado

    ResponderExcluir
  11. brenna CqC... 8 ano A manhã17 de setembro de 2009 06:53

    essa materia e muito legal pois nos aprendemos varias coisas sobre os lugares sagrados e DEUS

    ResponderExcluir
  12. LARISSA CqC...8 ANO A MANHA17 de setembro de 2009 06:55

    ESSA MATERIA É MUITO LEGAL E QUERIA MANDAR UM BEIJÃO PARA AS MINHAS AMIGAS DA CQC

    ResponderExcluir
  13. [jaco cqc]
    manda um alo pra larissa tisuname da cqc valeu!!!
    pro mardeson da cqc
    pro robson ashahssh

    ResponderExcluir
  14. com "A" escrevo Amor, com "B" escrevo Paixão, só não compro uma bicicleta pq não sei nadar essa e pra tuh larissa kionda

    ResponderExcluir
  15. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  16. MARCELLA BRÀZ!!!!!!!!!!!!!!!!17 de setembro de 2009 10:50

    MARCELA BRÀZ 8 ANO B
    EU ENTENDI QUE O Budismo O símbolo do Budismo é a Roda Dharmica ou Dharmacakra. Apesar desta ser um símbolo admitido por todas as religiões dharmicas, como o Jainismo, tal símbolo é considerado o símbolo oficial do Budismo. É um círculo com oito braços surgidos no centro apontando direções diferentes. Cada um dos braços representa cada uma das oito práticas que constituem o Nobre Caminho Óctuplo: Compreensão Correta, Pensamento Correto, Fala Correta, Ação Correta, Meio de Vida Correto, Atenção Correta, Sabedoria Correta e Visão Correta.



    EU TAMBEM ENTANDI QUE O - Jainismo O símbolo do Jainismo é uma variação do Darmacakra. Nesse caso, a roda dharmica situa-se no interior da figura de uma mão. A mão é geralmente vista como símbolo de sabedoria e de ensinamento. Logo, sendo o Darmacakra um símbolo presente em muitas religiões dharmicas, é um símbolo da sabedoria na sua religião.

    ResponderExcluir
  17. Alguns estudiosos sem excepcional experiência com a filosofia chinesa clássica dizem que o yang é o bem e o yin é o mal; contudo, segundo o físico teórico Fritjof Capra, influenciado oscilação entre os dois pólos; todas as transições ocorrem gradualmente e numa progressão e distorção em subseqüente eras patriarcais. Em biologia humana, as características masculinas e femininas não estão nitidamente separadas, mas ocorrem, em proporções variáveis, em ambos os sexos. Da mesma forma os chineses acreditavam que todas as pessoas , homens ou mulheres, passam por fases yin e yang. A personalidade de cada homem e de cada mulher não é uma entidade estática, mas um fenômeno dinâmico resultante da interação entre elementos masculinos e femininos. Essa concepção da natureza humana está em contraste flagrante com a da nossa cultura patriarcal, que estabeleceu uma ordem rígida em que se supõe que todos os homens, machos, são masculinos e todas as mulheres, fêmeas, são femininas, e distorceu o significado desses

    ResponderExcluir
  18. jarderson e janderson 7 ano c tarde17 de setembro de 2009 12:47

    os desenhos do ensino religiosos q faz parte da natureza e do desenho
    eu gosteu o desenho do yin yang e o desenho mais interesante com as coisa do mundo e parecido com sol e lua

    ResponderExcluir
  19. jessicaf. e jessica b.23 de setembro de 2009 12:01

    c;dom lustosa os símbolo do Jainismo é uma variação do Darmacakras muito criativo foi uma forma bastante legal de demostrar o ensino religiao

    ResponderExcluir
  20. vikaelly,meiriane e ericles23 de setembro de 2009 12:07

    yang é o bem que e a parte branca do simbolo e o yin é o mal a parte preta ;
    segundo o físico teórico Fritjof Capra, influenciado oscilação entre os dois pólos.
    O Yin-Yang é o símbolo do Taoísmo, uma das mais conhecidas religiões dharmicas. Um círculo dividido ao meio por uma linha ondulada
    com dois pontos,um tem um pouco do mal o mal tem um pouco do bem eo bem tem um pouco do mal
    quando os dois se juntam viram o Yin-Yang.

    falamos sobre yin-yang por que achamos muito interessante essa parte da materia'

    ResponderExcluir
  21. esses simbolos sao muitos interessante e falar sobre as religioes

    ResponderExcluir
  22. josue micael 9ano At23 de setembro de 2009 12:47

    Achei muito legal sobre as religiões e os simbolos da Africa.

    ResponderExcluir
  23. alexcarlos 01-daniel david07-mauricio28 9 ano A23 de setembro de 2009 12:50

    DOM LUSTOSA:OI MEU NOME E ALEX EU E MEUS AMIGOS GOSTAMOS MUITO DOS SIMBOLOS QUE ACABAMOS DE VER, VARIOS SIMBOLOS E DESENHOS QUE É ENTERESSANTE PARA O NOSSO APRENDIZADO O QUE MAIS ME ENTERESSOU FOI O YIN YANG.

    ResponderExcluir
  24. felipe cesar 7ano b
    oi e o felipe achei muito legal o seu blog

    ResponderExcluir
  25. kd as coisas do espiritismo prof. seria otimo ver a opiniao das pessoas sobre esta religiao (alunas do dom lustosa)8 ano noite taty...

    ResponderExcluir
  26. oi meu nome é WILKA BERNARDO SILVA
    Faço o 6 ano B manha dom lustosa
    professor dei uma olhada no seu blog e achei muito enteresante mas gostei muito do yin yang gostei muito

    ResponderExcluir
  27. oi meu nome é ana thaynara sou do 6b manha numero3 adorei muinto seu blog gostei mais dos desenhos na pedras aqueli enrrolado estava d+.eu estou encantada com aquelis caixois que esta na foto estao demais.

    ResponderExcluir
  28. a religiao para mim e muito importante, devemos respeitar as outras religioes e nao ter preconceito.eu sou catolica e respeito as outras religioes.eu me chamo clarisse da silva carvalho e estudo no creusa do carmo rocha.6b manh numero 5.

    ResponderExcluir
  29. oi profesor gostei muito do seu blog e das figuras suyanne 7a tarde

    ResponderExcluir
  30. parabens professor vc arrasou nas materias

    ResponderExcluir
  31. que legal professor os seus ensino religioso eu gostei muito.parabèns.

    ResponderExcluir
  32. oi meu nome e joyce onofre vicente,eu estudo no ccr,faço a 9a manha numero 30.eu lie sobre o sinbolo sagrado,e entendi que yin-yang tem um significado muito importante,esse simbolo faz entender que na vida tem dois lugares para nos escolher,o lado escuro,que e o lado do mal,e um lado iluminado,que e o lado do bem.

    ResponderExcluir
  33. vitória e thaynara19 de maio de 2010 13:45

    nome:vitória,thaynara.
    escola :dom lustosa
    série :7°ano b
    nós gostamos muito desse texto(monoteismo)por que nos inspiramos em outra religião e qui aprendemos as regras novas.

    ResponderExcluir
  34. Meu nome é Adrielle, estudo na 6ªsérie D TURNO MANHÃ, da Escola Creusa do Carmo Rocha.
    Número de chamada é nº1.

    É impossível ignorar o papel da religiosidade do povo brasileiro na cultura e da cultura na religiosidade. Ademais, a religião é como um espelho que mostra as vertentes da formação cultural de qualquer povo. E para explicar este fenômeno, tem-se o elemento determinante que é o sincretismo religioso.

    ResponderExcluir
  35. Achei muito interessante as imagens dos simbolos sagrados de todas as religiões,porque são cheios de cores e detalhes de formas variadas,como os símbolos dos elementos que pra mim chama muita atenção.

    ResponderExcluir
  36. o budismo a gente ver que e superior,e uma religiao espiritual,tem gente que esconhe esse caminho,da vida espiritual.eu sou catolica mas eu respaito muito as resligioes sagradas.
    eu achei muito interessante o budismo por isso que eu esconhi esse tema.
    joyce 9a manha ccr

    ResponderExcluir
  37. grazielle 9A tarde-Dom lustosa. oi professor sou eu,so queria dizer que essa pagina com os simbolos e d+,so nao achei a religiao "espiritismo" mas so tem coisas interessantes.Adorei

    ResponderExcluir
  38. A MINHA PESQUISA FALA SOBRE O ANIMISMO EU ACHEI MUITO ENTERESSANTE POIS FALA SOBRE FENOMENOS ESPIRITOS. A LEITURA ESCRITA O TERMO ANIMISMO É USADO PARA DESIGNAR UM TIPO DE FENOMENO ONDE É O ESPIRITO ENCARNADO NO PRIPRIO MÉDIUN QUE SE MANIFESTA POR ELE.

    MEU NOME É: JESSIA MAYARA NUNES DA SILVA EU ESTUDO NA ESCOLA CREUSA DO CARMO ROCHA EU FAÇO O 7ANOB MANHA N16

    ResponderExcluir
  39. ADOREI SEU bLOG

    JESSIA MAYARA

    ResponderExcluir
  40. nome;larissa
    serie;7a tarde
    escola;dom lustosa
    EU ENTENDI QUE O Budismo O símbolo do Budismo é a Roda Dharmica ou Dharmacakra. Apesar desta ser um símbolo admitido por todas as religiões dharmicas, como o Jainismo, tal símbolo é considerado o símbolo oficial do Budismo. É um círculo com oito braços surgidos no centro apontando direções diferentes. Cada um dos braços representa cada uma das oito práticas que constituem o Nobre Caminho Óctuplo: Compreensão Correta, Pensamento Correto, Fala Correta, Ação Correta, Meio de Vida Correto, Atenção Correta, Sabedoria Correta e Visão Correta.

    ResponderExcluir
  41. nome: Thalia Ferreira Braga
    escola:Dom Lustosa MANHA
    eu adorei as imagens que mosta os simboilos dos budismo do ilamismo e do outros.............
    gostei por que achei interesante

    ResponderExcluir
  42. eu gostei muito e achei muito interessantes milena 8ano a tarde

    ResponderExcluir
  43. Raimundo Nonato!!!!!! gostei muito desse tema adorei muito os simbolos gostria mas de me aprofunda mas

    ResponderExcluir
  44. meu nome e wilton e estudo no 6ªano A manha e estudo no colegio dom lustosa meu numero da chamada 35 yin-yang representa avida entre o be eo mal trasendo duas maneiras de vida de um jeito que o bem esta do lado mal e o mal do lado do bem e a sim que umanidade vim entre o amor e o odio fasendo que estudiosos venham a esudar sobre esta semalhanssa ocuta religiao criada peloschineses foi o entemdimento

    ResponderExcluir
  45. anonimo disse... cmes do antonio de almeda lustosa nome.lucas canuto da silva numero 24 serie 6ano a achei muito interesante poque falar de varias religioes temuitas opovo brasileiro tem varias religioes exenplos.canoble.islamismo.catolica.mormos e etc

    ResponderExcluir
  46. MEU NOME E ANTONIO TEIXEIRA SALES FILHO D.LUSTOSA SERIE 6ª ANO A MANHA NUMERO 4 EU ACHEI MUITO ENTERASENTE
    AS RSE ELIGIOES QUE SE FALA NO TEXTO SOBRE RELIGIOES O YIN-YANG FALA DA VIDA DO BEM E DO MAL A RELIGIAO DO ISLAMISMO JUDAISMO MORMOOS CRISTIANISMO E OUTRAS RELIGIOES QUE E XISTE SEGUIDORES

    ResponderExcluir
  47. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  48. ATÉ AQUI LI 48 COMENTÁRIOS E POSSO ESPERAR MAIS OUTROS ENTRE CRÍTICAS E ELOGIOS. OBRIGADO.
    UM ABRAÇO SIMBÓLICO DO PROF. JONAS.

    ResponderExcluir
  49. wallison pereira de morais serie:6ano-a turno:manhã numero:34 domlustosa ensino religioso é muito importate na vida da gente a sim por quer tem pessoa que não acredita em deus

    ResponderExcluir
  50. geova 7ano-b manhã numero 12 dom lustosa ensino religioso e muito importamte na vida porque faz as pessoas acreditarem em deus

    ResponderExcluir
  51. os simbolos religiosos ajudam a compreender a cultura das religiões.Existem vários simbolos e um deles é o da religião do budismo a "roda de oito caminhos" que trata de explicar dos caminhos que levam a paz e a harmonia no mundo.Outro é o "yin-yang" do taoísmo que explica o equilíbrio entre o bem e o mal.

    cmes DOM LUSTOSA aluno:Antonio Micaias Silva de Sousa n:3 6A manhâ

    ResponderExcluir
  52. CMES:DOM ANTÔNO DE ALMEIDA LUSTOSA ALUNA:RUTHYELLE FIDELIS DE LIMA N-35 7ANO-C MANHA OI PROFESSOR GOSTEI MUITO DE FAZER UMA DAS QUESTOES QUE SOBRE OS SIMBOLOS SAGRADOS DAS DIVERSAS RELIGIOES EU ADOREI FAZER E SEU BLOG E MUITO LEGAL APRENDO VARIAS COISA SOBRE RELIAO COM ELE E TAMBEM GOSTEI DO YIM YANG QUE EXPLICA O EQUILIBRIO ENTE O BEM E O MAL.....

    ResponderExcluir