" CONHECEREIS A VERDADE E A VERDADE VOS LIBERTARÁ "

segunda-feira, 26 de abril de 2010

TOTEMISMO

Totemismo
Conjunto de idéias e práticas baseadas na crença num parentesco místico entre os homens e animais, plantas, objetos ou fenômenos naturais, que constituem o totem.
Religião
Fenômeno comum a inúmeras sociedades tribais, o totemismo entusiasmou cientistas sociais do começo do século XX como uma das vias de explicação da origem das estruturas sociais e psicológicas da humanidade.
Totemismo é um conjunto de idéias e práticas baseadas na crença da existência de um parentesco místico entre seres humanos e objetos naturais, como animais e plantas. O conceito refere-se a uma ampla variedade de relações de ordem ideológica, mística, emocional, genealógica e de veneração entre grupos sociais ou indivíduos específicos e animais ou outros objetos naturais, que constituem o totem. O termo deriva da palavra ototeman, do idioma dos índios algonquinos, do leste dos Estados Unidos. A raiz gramatical ote indica uma relação de sangue entre irmãos e irmãs, filhos da mesma mãe, que não podem se casar entre si.
De início os antropólogos restringiram a designação totemismo à associação de um grupo de pessoas com o objeto totem. Um totem não poderia se confundir com um animal ligado a uma única pessoa, seja como espírito guardião, animal familiar ou fonte de poder sobrenatural, nem com manifestações casuais, como a transformação de um homem em lobisomem ou a "possessão" de um xamã por um espírito animal, "donos" sobrenaturais de animais. No final do século XX, porém, a expressão totemismo individual tem sido aplicada a muitos desses fenômenos.
Diz-se que há totemismo numa sociedade se esta for dividida num número identificável e aparentemente fixo de clãs, cada um dos quais tem uma relação específica com um totem animado ou inanimado; se um membro de um desses clãs não pode normalmente passar para outro; e se as pessoas que vivem na mesma localidade pertencem a diferentes clãs totêmicos. Um totem pode ser um animal temido, imitado ou perigoso, uma planta comestível ou qualquer alimento básico. Geralmente ligado à moralidade institucional, o totem é quase invariavelmente impregnado de tabus de evitação ou de contato rigidamente ritualizado.
A inserção num grupo totêmico, que é, num certo sentido, hereditária e perpétua, regula as relações da criança com seus parentes de sangue e designa as famílias que podem oferecer parceiros aceitáveis para a procriação. Totem, tabu e exogamia (o casamento fora do grupo) estão inextricavelmente entrelaçados. Nenhuma sociedade conhecida atende a todos os critérios do totemismo ideal, mas em muitos grupos os fenômenos característicos estão presentes em número suficiente para garantir a designação de totêmicos.
Há muitas teorias e hipóteses relacionadas ao totemismo. A primeira foi proposta pelo etnólogo escocês John Ferguson McLennan, que buscou entender o totemismo numa perspectiva ampla. Em The Worship of Animals and Plants (1869; O culto de animais e plantas), McLennan não tentou explicar a origem específica do fenômeno do totemismo, mas sim indicar que toda a raça humana passou pelo estágio totêmico num momento remoto de sua evolução. O primeiro trabalho abrangente sobre o assunto, porém, foi Totemism and Exogamy (1910; Totemismo e exogamia), do britânico Sir James Frazer.
No período de grande florescimento da sociologia e antropologia cultural, nas primeiras décadas do século XX, o totemismo atraiu muita atenção. Uma das mais intensas discussões foi sobre a ligação entre totemismo e religião, negada por alguns, como o americano Alexander Goldenweiser, e afirmada por outros, como o francês Émile Durkheim. Em 1916, o americano Franz Boas afirmou que o totemismo era uma unidade "artificial", só existente no pensamento dos etnólogos. Essa opinião foi partilhada pelo britânico Radcliffe-Brown. O crítico mais incisivo do totemismo, que negou até mesmo a realidade do fenômeno, foi Claude Lévi-Strauss. Em Le Totémisme aujourd'hui (1963; O totemismo hoje), ele concluiu que o totemismo não passa de uma expressão simbólica, que permite ao indivíduo um melhor entendimento da realidade social e da diferenciação de clãs e papéis.






VÍDEO SOBRE  XAMANISMO,  ANIMISMO E  TOTEMISMO  




6 comentários:

  1. a religiao e uma coisa muito inportate a gente aprede muitas coisa diferentes maria valdenia
    6b manha escolar creusa do carmo rocha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. que isso jovem importante com n...

      Excluir
  2. nome:caio jonathas caldas cruz n:7 serie:6d turno:manha cre

    Ensino de ideias e pratico mistico
    entrehomes

    ResponderExcluir
  3. Anônimo disse...
    a religiao e uma coisa muito inportate a gente aprede muitas coisa diferentes maria valdenia
    6b manha escolar creusa do carmo rocha
    4 de maio de 2010 10:39
    vitor disse...
    nome:caio jonathas caldas cruz n:7 serie:6d turno:manha cre

    Ensino de ideias e pratico mistico
    entre homens
    20 de maio de 2010 16:57

    ResponderExcluir
  4. eu intendi que animismo tem varias regras. e que todo ser vivi e importante para o animismo na literatura espirita e muito usado freguentimente por muintas pessoas .existem varias crenças baseadas no animismo como .animismo africano ;xintoismo;panteismon.e o mais interencante e que o foi crado por. Sir Edward B. Tylor dupla: ana carolina e andresa sousa 7ºAM n°04 e 05 ccr o seu e blog e muito legal professor

    ResponderExcluir
  5. professor eu adorei,eu entende que tem fenomenos naturais e fenomeno comun e tambem aprende o que é totemismo que é uma coisa muito enterresante entre humanos,animais,plantas,objetos ou fenomeno naturais. eu achei enterresante o que a maria clara fala sobre a religião e cultura eu gostei mais quando ela desse:hoje vivemos num mundo onde a religião muitas vezes desempenha mais o papel de cultura e força civilizatoria do que propriamente de credo de adesão que configura a vida. mais ainda: vivemos no mundo plural em todos os aspectos e termos. eu so gostei pois ela fala a realidade.(thayna 8b tarde CCR)

    ResponderExcluir