" CONHECEREIS A VERDADE E A VERDADE VOS LIBERTARÁ "

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

BATISMO

O batismo (AO 1945: baptismo) é um rito de passagem, feito normalmente com água sobre o iniciado através da imersão, efusão ou aspersão. Este rito de iniciação está presente em vários grupos, religiosos ou não, onde destacam-se os cristãos. Na Igreja Católica, o batismo é o sacramento através do qual o Sacrifício Pascal de Jesus Cristo se aplica às almas, tornando-as membros da Igreja e abrindo o caminho da salvação eterna.






Significados

O termo é a transliteração do grego "βαπτισμω" (baptismō) para o latim (baptismus), conforme se vê na Vulgata em Colossenses 2:12. Este substantivo também se apresenta como "βαπτισμα" (baptisma) e "βαπτισμός" (baptismós), sendo derivado do verbo "βαπτίζω" (baptizō), o qual pode ser traduzido por "batizar", "imergir", "banhar", "lavar", "derramar", "cobrir" ou "tingir", conforme utilizado no Novo Testamento e na Septuaginta.
As abluções do Antigo Testamento (Hebreus 6:2 e 9:10) foram traduzidas por "batismos" no grego koiné, que é o usado no Novo Testamento. Através da discussão entre os discípulos de João e os discípulos de Jesus (João 3:25 e 26) vemos que as purificações "καθαρισμός" (katharismós) são usadas como sinônimos de baptismo.
Esta é a mesma palavra usada em Lucas 2:22, quando Maria vai apresentar Jesus. Referindo-se ou período de purificação próprio das mulheres que tinham filho, como está na lei mosaica.
Em Marcos 7:4, onde o termo não representa o baptismo cristão, o verbo é traduzido em diferentes versões da Bíblia por lavar, limpar, aspergir ou, literalmente, batizar.
Os textos em Marcos 10:38 e Lucas 24:49 enfatizam o baptismo como rito de passagem.
A transliteração, portanto, se justifica diante do universo semântico apresentado.


Sacramento

Um batismo infantil por imersão em uma igreja ortodoxa da Russia.


Um batismo infantil em uma igreja católica no Rio de Janeiro.
Segundo algumas denominações cristãs, entre as quais a Católica, a Luterana e a Reformada, o batismo é visto como um sacramento e o fundamento da comunhão entre todos os cristãos. Como tal vai proporcionar ao baptizando a bênção e a graça de Deus. Segundo a doutrina da Igreja Católica, o baptismo não só é um sacramento de inclusão na Igreja, no Corpo Místico de Cristo, como também é necessário para a salvação.
Na Igreja Católica, o baptismo é dado às crianças (baptismo infantil) e a convertidos adultos que não tenham sido antes baptizados validamente (o baptismo da maior parte das igrejas cristãs é considerado válido pela Igreja Católica visto que se considera que o efeito chega directamente de Deus independentemente da fé pessoal, embora não da intenção, do sacerdote).
Do mesmo modo, as Igrejas Luteranas, Anglicanas, Reformadas e Metodistas também ministram o baptismo às crianças e a adultos sem baptismo considerado como válidos anteriormente. Dentro do conceito de validade, apenas os Luteranos e Anglicanos mantém como válido todos os baptimos cristãos, excetuando-se apenas dos grupos considerados pela Ortodoxia Cristã como pára-cristãos (Adventistas,Testemunhas de Jeová e Mórmons). Já nos grupos Reformados (Presbiterianos e Reformados) e nos grupos Metodistas existem diversas versões sobre aceitação ou não do baptismo ministrado pela Igreja Católica Romana.
"O rito essencial deste sacramento consiste em imergir na água o candidato ou em derramar a água sobre a sua cabeça, enquanto é invocado o Nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo" [1]. O Baptismo significa imergir "na morte de Cristo e ressurgir com Ele como «nova criatura»" [2].
O baptismo perdoa o pecado original e todos os pecados pessoais e as penas devidas ao pecado. Possibilita aos baptizados a participação na vida trinitária de Deus mediante a graça santificante e a incorporação em Cristo e na Igreja. Confere também as virtudes teologais e os dons do Espírito Santo. Uma vez baptizado, o cristão é para sempre um filho de Deus e um membro inalienável da Igreja e também pertence para sempre a Cristo [3].
A Igreja Católica e as tradições Luteranas, Anglicanas, Reformadas e Metodistas insistem no baptismo às crianças porque "tendo nascido com o pecado original, elas têm necessidade de ser libertadas do poder do Maligno e de ser transferidas para o reino da liberdade dos filhos de Deus" [4], isto faz com que as pessoas não têm o direito de durante seu crescimento pecar novamente já que Jesus Cristo não voltará a terra para novamente morrer na cruz e dar-lhes o direito de ser perdoados. Ainda segundo a doutrina da Igreja Católica, embora o baptismo seja fundamental para a salvação, os catecúmenos, todos aqueles que morrem por causa da fé (baptismo de sangue), [...] todos os que sob o impulso da graça, sem conhecer Cristo e a Igreja, procuram sinceramente a Deus e se esforçam por cumprir a sua vontade (Baptismo de desejo), conseguem obter a salvação sem serem baptizados porque Cristo morreu para a salvação de todos. Quanto às crianças mortas sem serem baptizadas, a Igreja na sua liturgia confia-as à misericórdia de Deus, que é ilimitada e infinita.




Ordenança

Segundo algumas denominações, o baptismo é entendido como ordenança, isto é, ele é uma ordem. Porém deve se ter o cuidado de que não é o rito em si o que salva, nem a quantidade de água.
O batismo deve externar a aliança com Cristo, representando uma realidade interior (I Pedro 3:21). No caso de batismo de bebês, de nada adianta batizar se não houver ensino. Jesus ordenou que seus discípulos batizassem e ensinassem a guardar os seus mandamentos (Mateus 28:19-20).

Simbolismo

A água deve simbolizar a pureza e lavar.
Se por imersão, ainda assim deve haver o derramamento sobre o batizado, simbolizando o derramar e lavar do Espírito Santo e o ser revestido de Cristo, muda-se vida - morte para o mundo, vida em Jesus.
A borrifação se reporta ao Antigo Testamento, nos ritos de purificação, a qual era tipo da purificação pelo sangue de Jesus Cristo. Assim como acontece com o derramar da água, a maior dificuldade é de cunho cultural, visto que para um hebreu esta forma de purificação já era entendida.

Modos

São dois os principais modos de batismo cristão:
Aspersão ou Efusão - baptismo onde a água é borrifada ou derramada sobre o que é batizado.
Imersão - baptismo em que o que é batizado deve ser mergulhado na água.
água que é jogada sobre a testa da criança, que representa vida nova, o óleo que simboliza a força da graça de Deus contra o mal; purificada e da vela, que é a luz da fé; a roupa branca é um importante símbolo deste ritual, que indica a pureza do corpo e da alma daquele que está recebendo o batismo.


Elementos

Um moderno batizado na Igreja do Sagrado Coração Monza, Itália
Existem diferentes elementos usados no Baptismo.

No Antigo Testamento

Batismo com Água - Assim foram purificados os [Levitas], através da aspersão de água. Em alguns momentos a água era misturada com algo do sacrifício, tal como cinza ou sangue. Em alguns casos eram lavados com água tanto de pessoas como de utensílios.
Batismo com Sangue - Era a aspersão ou derramamento do sangue do sacrifício conforme instruídos na Lei de Moisés.
Batismo com Óleo - Era usado na consagração do sacerdote, também chamado de unção sacerdotal. Havia a unção do rei.
Batismo com o Espírito Santo - É mencionado como promessa nos profetas. No livro de Ezequiel, capítulo 36, versos 25 a 27, encontramos a profecia do novo nascimento e dos baptismos cristãos com água e com o Espírito Santo. O texto em Ezequiel é similar ao de Isaías 44.


No Novo Testamento encontramos

Baptismo com Água - Neste caso há a preferência por água pura, não se misturando com sangue ou cinza. Jesus Cristo é o cordeiro do sacrifício pela expiação dos pecados. O Novo Testamento afirma que Noé e os seus foram batizados na Arca usada no dilúvio.
Baptismo com Sangue - Jesus (Evangelho Segundo Marcos 10:38-39), diante do pedido de Tiago e João, seus discípulos, filhos de Zebedeu, se reportou a sua morte futura como um baptismo, tendo Ele derramado o seu sangue e Mediado uma Nova Aliança entre Deus e os homens, sendo Ele mesmo o sacrifício pelo pecado. Isto é reforçado na instituição da Ceia do Senhor. Seus discípulos que haviam afirmado desejarem ser batizados com o mesmo baptismo, morrera dando suas vidas por amor a Jesus. Pode ser usado quando uma pessoa é morta por defender a Fé Cristã.
Baptismo com o Espírito Santo - Cumpre a promessa e unifica os conceitos associados ao baptismo com óleo. Pedro em sua primeira carta afirma que o povo de Deus é sacerdócio real, povo de propriedade exclusiva de Deus. O óleo é usado também no Novo Testamento como medicamento e sinal da presença de Deus.
Baptismo com Fogo - Jesus afirmou que batizaria com o Espírito Santo e com Fogo. O fogo, tal como no caso da cinza no Antigo Testamento, está associado à purificação, mas neste caso, conforme os textos dos Evangelhos de Mateus e Lucas, significa a destruição, onde a palha será queimada em fogo inextinguível.

Fora da Bíblia

Fé Católica Romana - Como a Fé Romana professa ser indispensável o baptismo para a salvação, foram criados recursos através da instituição de dogmas, tal como baptismo de desejo, onde alguém que tivesse morrido desejoso de ser batizado com água o seria de alguma forma nos céus. De certa forma, neste caso, o rito visível acaba não sendo tão indispensável e o catolicismo parece se aproximar das igrejas protestantes.
Outras religiões - Como rito de passagem de admissão.






Paralelos

Na Bíblia o baptismo recebe paralelos com:
a circuncisão - Colossenses 2:11-12 e I Pedro 3:21.
arca de Noé - I Pedro 3:20-21.
nuvem e mar do povo de Israel no Êxodo do Egito - I Coríntios 10:1-2.
Neste último texto, I Coríntios 10:1-4, temos os dois sacramentos: Baptismo e a Ceia do Senhor (ou Eucaristia).

Idade

Baptismo Cristão Adulto - Baptismo de arrependimento e remissão de pecados, o qual deve ser ministrado naquele que reconheça a sua natureza pecaminosa, que busca depender de Deus e que reconheça o senhorio de Jesus Cristo sobre sua nova vida. Esta deve ser uma ação voluntária do pecador arrependido, o qual se dispõe a perder a sua vida e depender de Jesus. Nenhum valor tem o símbolo se isto não parte de um novo coração. Sua liberdade deve ser limitada pelo amor. A independência dá lugar à dependência.
Baptismo Cristão Infantil - realizado em crianças, sob a autoridade de seus pais ou tutores de sua educação religiosa e formação do caráter. Não se trata de baptismo de arrependimento, mas de baptismo de consagração. Tanto na apresentação como no baptismo infantil, o propósito é reconhecer as crianças como participantes do Reino de Deus e de suas promessas, devendo estas ser ensinadas a guardar todas as coisas que Jesus ordenara. Nenhum dos dois tem valor se tutores, ao invés de serem guias e modelos de vida, forem obstáculos para que os pequeninos cheguem verdadeiramente a Jesus. Igualmente não isenta os filhos de professarem sua fé diante de Deus e das demais pessoas em seu dia-a-dia.


BATISMO:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Batismo


http://www.idbgoiania.ilax.com.br/batismo.htm


Nenhum comentário:

Postar um comentário